sexta-feira, 10 de julho de 2009

Plugados em tudo, refletindo em nada.

Acabei de assistir a um debate na TV Cultura, sobre o excesso de tecnologia em comunicação, interatividade, informação, acessibilidade e mobilidade, seus benefícios e malefícios. Adolescentes se gabam em afirmar que conseguem absorver esse bombardeio de informação com tranquilidade. Eu nunca acreditei nisso. Se você está lendo este texto e ao mesmo tempo está ouvindo música, conversando no celular e teclando no messenger, faça-me o favor, não vou ficar chateado, pare de ler agora e leia depois com mais calma.

Durante o programa fizeram um teste com alguns adolescentes, fazendo tudo que citei acima e depois o apresentador fez várias perguntas sobre as informações lançadas, um teste de percepção e atenção. O resultado foi uma lástima. Percebeu-se que eles ouvem mas não sabem dizer que música ouviram, leem textos mas não sabem comentar o que leram. Enquanto conversavam ao celular assuntos toscos, foram mostradas dez imagens de animais e objetos e eles não conseguiram citar mais de duas.

Há um desperdício de informação que não é refletida, analisada, esquadrinhada, pesquisada, sacudida, passada na peneira da verdade e no funil da prioridade. Tá certo, tá certo... não temos mais tempo pra fazer tudo isso. Esse é um grande problema se formos analisar profundamente sobre tudo. A pretensão de estar plugado em tudo é que nos desconecta do que realmente tem algum valor significante.

Coma menos, mas coma deliciando-se com o sabor. Ouça menos música, mas emocione-se com cada som que ouvir. Leia menos, mas leia desvendando um mapa do tesouro. Apreciar os detalhes e refletir sobre eles é encontrar riquezas.

A falta de reflexão é desplugar a alma da vida.

"De que adianta o homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma."

Sem comentários:

Publicar um comentário