sexta-feira, 19 de junho de 2009

Verdades e mentiras


Pensando num arranjo para uma música que diz: "somos luz do mundo, vamos brilhar em todo lugar", estava concentrado, preparando-me para gravar quando um homem começa a bater palmas no portão de casa, bem forte e insistentemente. Aquilo me irritou muito, me levantei e fui ver o que queriam. Era um rapaz com a aquela história de sempre: que chegou de algum lugar, mas aqui estava muito difícil, passando muita dificuldade... na verdade eu nem prestei atenção no que ele estava falando. Enfiei as mãos nos bolsos da calça, não achei nada e disse a ele que não tinha dinheiro. Mas o rapaz, desolado, disse que não queria dinheiro, queria um pouco de qualquer comida, estava com muita fome. Nem pensei. Disse que não tinha como arrumar e fechei a porta.

Voltei para o meu escritório, peguei o violão, pensei na música... e não consegui fazer mais nada. Um sentimento de vergonha profunda me encheu, pensei em procurar o pedinte na rua, mas não consegui sair do lugar. Fiquei muito abatido.

Isso é a verdade-mentira que Caio Fábio em seu livro Enigma da Graça descreve. Cantamos verdades em si, mas são mentiras em nós. Jesus também afirma que a adoração deve ser em espírito e em verdade, essa verdade de Jesus deve ser a mesma da verdade-verdade de Caio. É verdade no espírito e verdade na vida.

Tem hora que é melhor enfiar a viola no saco, calar, pensar, arrepender-se e buscar o perdão através do sangue dAquele que é a Verdade que nos purifica de toda mentira.

Sem comentários:

Publicar um comentário