segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Igreja -Cidadã e o Rabo da Igreja

Gostaria de começar dizendo que sou ciente de que meu texto é irrelevante e que não tem poder de influenciar ninguém. É um simples desabafo.

Hoje vi a notícia nos jornais: "Congresso aprova aumento de 40% do próprio salário". Isso gerou em mim uma indignação muito grande. Não me surpreende mais o fato de políticos aumentarem seus rendimentos abusivamente. Minha indignação é com o silêncio da igreja.

Onde estão os pregadores televisivos, que eloquentemente ajudam a eleger bandidos? Onde estão as super-igrejas com suas passeatas e marchas? Onde estão os cantores "gospel" que lotam estádios e cantam em programas de auditório? Onde estão os “homens de Deus” que expulsam todos os demônios, curam todas as doenças, que oram e todos ficam ricos? Onde estão os teólogos e seus seminários?

Fico imaginando como seria uma igreja-cidadã. Igreja só é cidadã para votar, isso se prega durante as campanhas. Mas quando é preciso cobrar, se revoltar, pressionar, lutar pela justiça e verdade… aí não. “Nesse caso devemos ser submissos às autoridades. Elas são constituídas por Deus”.
Pense como não seria diferente, se a igreja-cidadã, de forma pacífica e democrática, juntasse milhões de cristãos se manifestando, fazendo passeatas, caravanas para Brasília, se pronunciando em todos seus programas de TV, influenciando e mobilizando todo o Brasil para uma pressão sufocante até deputados e senadores votarem contra o aumento dos seus salários?

Qual o motivo do silêncio da igreja? Ela está com o “rabo preso” no lodo. Políticos cristãos são o “rabo”da igreja-instituição.

O Brasil não precisa de políticos cristãos, o Brasil precisa da igreja-cidadã. Cidadã do reino dos céus, sim, mas brasileira também. Não para benefício próprio, mas para o bem do próximo.


Sem comentários:

Publicar um comentário